Conheça quatro soluções sustentáveis que contribuem para a resolução de desafios sociais, econômicos e ambientais

da natureza?

Como cuidar

POR:  Giovanne ramos

Os relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas confirmam que buscar alternativas para limitar o aquecimento global é uma necessidade.

VÍDEO:  Reprodução/ Climatempo

Nesse contexto, tecnologias ancestrais de cuidado com a terra e soluções baseadas na redução de desigualdades podem oferecer indicativos de caminhos a se seguir.

imagem: Sonise Medeiros/ Embrapa
imagem: PEXEL, FREEPICK E PUREPNG

Confira quatro soluções sustentáveis para contribuir com a natureza e reduzir desigualdades.

 do Vale do Ribeira/SP é um exemplo de conjunto de saberes aplicados no cultivo de alimentos de forma respeitosa para a natureza e outros seres que ali vivem.

imagem: Thiago Falcão/ Unsplash 

1)O sistema agrícola tradicional quilombola

É uma técnica de plantio que utiliza a roça de coivara, conhecimento herdado de povos tradicionais que habitaram a região e é repassado de geração em geração. 

imagem: Marília Garcia Senlle/ ISA

Os espaços de plantio dentro do território são trabalhados em forma de rodízio e cada área é utilizada por, no máximo, 5 anos, dando espaço para a natureza se regenerar. 

imagem:  Frederico Viegas/ ISA

Tudo é feito sem agrotóxicos e segue um cronograma da natureza. As épocas de plantio de sementes, por exemplo, só ocorrem na lua minguante.

imagem: milesz/ Pixabay

“ Trabalhando dessa maneira, não colocando veneno na nossa alimentação, vamos ter um alimento mais saudável para colocar nas nossas mesas”,

 explica Vanessa França, da Comunidade Quilombo São Pedro, em Eldorado.
imagem: Thiago Falcão/ Unsplash 

o cultivo agrícola é feito em consórcio com a floresta, combinado com o plantio e a existência de árvores e arbustos, o que é importante para a recuperação de áreas que foram desmatadas. Não é utilizado agrotóxicos e o adubo é feito de forma natural.

2) No sistema agroflorestal,

imagem: Arquivo Pessoal/ Fabiano de Lima Silva

“Nós começamos a morar em um local totalmente degradado, hoje já estamos no meio da floresta. Reconstruímos este local e, hoje, somos a maior agrofloresta em território indígena do estado de São Paulo”,

 líder indígena Fabiano de Lima Silva, da Aldeia Renascer em Ubatuba/SP.
imagem: Thiago Falcão/ Unsplash 

por meio do esterco de animais que criam em suas propriedades.

3) Existem famílias no Brasil que já utilizam biodigestores para a produção de gás 

O biodigestor é um equipamento utilizado para acelerar a decomposição de matéria orgânica, como as fezes dos animais, por meio da ausência de oxigênio e presença de bactérias. O produto final do processo é o biogás, que pode ser utilizado em fogões de cozinha. 

imagem: : Reprodução/A3P

A solução contribui com a redução de despesas com botijões de gás, além de ser um processo menos poluente para o meio ambiente, já que o gás metano liberado com o esterco de animais como gados, é queimado no fogão e se transforma em gás carbônico, menos poluente.

imagem:Reprodução/Semiárido Vivo
imagem: Thiago Falcão/ Unsplash 

 de Engenharia Química da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, no Rio Grande do Sul, é transformar o isopor em uma tinta com o mesmo desempenho de outras do mercado.

4) Outra solução desenvolvida por duas estudantes

A tinta desenvolvida por Gabriela Schneider e Paula Schwade também utiliza solvente natural, extraído da casca de frutas cítricas, resíduo biodegradável e que não agride o meio ambiente ou a saúde das pessoas, como os solventes comuns utilizados em indústrias. 

imagem: Reprodução/Unisinos

Além de contribuir com a redução do acúmulo de lixo, a ideia pode abrir caminho para uma coleta seletiva que olhe com mais atenção um material que, atualmente, é muito utilizado e descartado, mas de difícil reciclagem.

imagem: Reprodução/Unisinos

DESIGN

IMAGENS

TEXTOS

Camila Ribeiro Climatempo/
Embrapa/
Pexel/
Unsplash/
ISA/
Pixabay/
A3P/
Unisinos


Fernanda Rosário

CONHEÇA MAIS
HISTÓRIAS PRETAS

BLACKSTORIES