Conheça o ritmo e saiba como ele foi importante para o processo de redefinição identitária no Brasil

 ritmo da ancestralidade africana no Brasil

Ijexá:

POR:  DINDARA PAZ

Nome de uma nação africana, o Ijexá é um ritmo musical de origem iorubá que foi trazido para o Brasil por africanos escravizados e hoje se configura como um dos principais elementos na música afro-brasileira.

imagem: Carybé

A origem do ritmo está em Ilesa, cidade na Nigéria banhada pelo rio Oxum, nome da orixá das águas doces e considerada a rainha do Ijexá.

IMAGEM: CRAterre/Thierry Joffroy

Com forte presença no candomblé, o ritmo constitui a base rítmica da religião de matriz africana e normalmente é dedicado para quase todos os orixás, em especial à Oxum.

IMAGEM: Totó Cruz

"O Ijexá tem a ver com Oxum, tem a ver com a nação Efon, que traz essa alegria rítmica de louvar, de construir e continuar a herança ancestral do Candomblé"

IMAGEM: PINTEREST

- Iya Cristina d'Osun

Nas manifestações do candomblé, o ijexá é cantado em iorubá e acompanha instrumentos como Rum (hun), Rumpi, Lé e Agogô, que podem ser tocados em conjunto ou separados, a depender da oferenda.

Colagem: CAMILA RIBEIRO/Alma Preta Jornalismo com imagens de Instituto do tambor

No Brasil, o ijexá se tornou símbolo de resistência, já que as manifestações religiosas africanas eram reprimidas pelos colonizadores.

IMAGEM: Camila Varogh (@kau_varogh)
vídeo: Mazé Mixo

Com o passar do tempo, o ritmo ganhou novos elementos e ocupou as ruas, sendo precursor de novas manifestações afro-brasileiras, como o afoxé.

Em Salvador, cidade mais negra fora de África, o afoxé Filhos de Gandhi é uma referência do ijexá. Fundado em 1949, o bloco é constituído apenas por homens, que levam às ruas da capital baiana o canto, a religião e a dança da nação Ijexá.

IMAGEM: CAMILA RIBEIRO/ALMA PRETA JORNALISMO COM IMAGENS DE Flávio Ciro, Paulo Freitas e Raul Spinassé/Ag. A TARDE sobre o afoxé filhos de gandhi

"Quanto eu estou no Gandhi, eu gosto do canto e da dança do Ijexá. Eu me sinto parte integrante, molécula, partícula de uma coisa grande que é o canto da Bahia e da África"

VÍDEO: Carnavais Gil - Mini série sobre Gilberto Gil no Carnaval! -gilberto gil

"Quanto eu estou no Gandhi, eu gosto do canto e da dança do Ijexá. Eu me sinto parte integrante, molécula, partícula de uma coisa grande que é o canto da Bahia e da África"

VÍDEO: Carnavais Gil - Mini série sobre Gilberto Gil no Carnaval! -gilberto gil

Seja pelo seu ritmo marcado ou pela sua definição como nação, o Ijexá redefiniu a cultura negra brasileira e representa um símbolo de fé e conexão com a ancestralidade africana.

IMAGEM: CAMILA RIBEIRO/ALMA PRETA JORNALISMO COM IMAGENS DEBaiana: iStock, Ijexa-instrumentos: Instituto do Tambor, Desfile de dança Ijexá – Bloco Ókánbí

DESIGN

IMAGENS

TEXTOS

Camila Ribeiro Totó Cruz/
Pinterest/
Alma Preta Jornalismo/
Camila Varogh/
Mazé Mixo/
Carnavais Gil/
Carybé
Dindara Paz

CONHEÇA MAIS
HISTÓRIAS PRETAS

BLACKSTORIES